Eu odeio Ele

Eu odeio Ele – Capítulo 4

Não inicie o capítulo 4 sem ter lido o anterior 😉

Para ler o capítulo 3, clique aqui

 

“Quem anda com integridade anda com segurança, mas quem segue veredas tortuosas
será descoberto.” (Provérbios 10:9)

 

– Você não está acreditando em mim, não é? Olha essa mensagem e veja se o que estou dizendo é mentira.

Pegou o celular no bolso, e sem desviar a atenção de mim, colocou um áudio do Whatssap:

“Seu moleque desgraçado, você vai pagar pelo o que fez comigo. Isso não vai sair barato! Eu vou achar você e aquelas vadias.”

Quando eu pensei que tinha acabado, outra bomba:

“Fomos muito bem pagos pra acabar com aquele garoto, quando ele descobrir que não fizemos isso, vai atrás de mim, de você e delas. Torça pra que eu te encontre antes disso.”

O que o pobre garoto tinha feito pra alguém desejar tanto seu fim? Mas aquele não era o foco, eu primeiro tinha que me concentrar em como me livrar daquela ameaça.

– Como você pretende se safar? – Perguntei, ainda em estado de choque.

– Eu não faço a mínima ideia. A única coisa que pode dá certo é se fugirmos. – Ele falou de uma forma tão natural que pareceu que éramos namorados e estávamos planejando uma fuga romântica.

– A gente? Eu nem te conheço, não faço a mínima ideia do porquê você está tentando me ajudar, então a última coisa que eu vou fazer é fugir com você. Posso chamar a polícia e contar tudo o que aconteceu. – Eu não queria que isso soasse como uma ameaça, por algum motivo ele estava me ajudando desde aquela noite louca, então independente das suas intenções eu sentia como se estivesse em dívida com ele.

– Priscila, a polícia não pode te ajudar. Nenhum policial vai ficar 24 horas com você. Sem falar na sua família. Ou você está esquecendo que seus pais também correm perigo? O Toddy não é burro, ele não vai aparecer quando todos estiverem esperando. Uma hora vocês vão vacilar e achar que está tudo bem, e vai ser nesse momento que irão se deparar com as consequências da sua escolha. E pode crê que a família da Clara também corre riscos.

Ele pareceu está juntando todas as suas forças para falar aquilo. Não parava nem sequer pra respirar, estava totalmente focado em me convencer. Objetivo que conseguiu no momento em que falou dos meus pais.  

– O que eu tenho que fazer? – Já me sentia derrotada.

– Fugimos pra casa de um amigo meu e depois despistamos o Toddy, e ai esperamos até ter certeza que é seguro voltar.

– E quando vai ser seguro? – Me questionei se um dia seria. Aquele pensamento me deu tontura e falta de ar. Olhei em volta do meu quarto e não consegui segurar o choro. Como fui me meter naquela situação? Eu estava com um garoto completamente estranho dentro do meu quarto e acabara de ouvir a notícia que mudou toda minha vida.

Amaldiçoei a noite em que o vi pela primeira vez. Amaldiçoei minha ida àquela festa. Amaldiçoei minha curiosidade, e por fim, desejei voltar no tempo e perguntar aos meus pais se eu podia ir àquela maldita boate.

 Enquanto tentava recuperar o controle da situação mais ar me faltava. Meus pais já estavam dormindo, quis chamá-los, gritar, pedir ajuda, dizer o que tinha acontecido,  talvez as coisas pudessem se resolver…

Ele já tinha me convencido no momento que apresentou os outros riscos, porém ainda tinha uma coisa me incomodando.

– Por quê?

– O quê? – Se fez de desentendido, mas seus olhos vacilões deixavam claro que tinha entendido.

– Por quê você quer me ajudar? – Esbravejei, àquela altura não me importei se meus pais iam acordar. – O que você ganha com isso? Você nem me conhece!

Ele se afastou e começou a andar em círculos pelo meu quarto.

– Responde! – Insisti.

– Priscila, eu já fiz muita coisa errada nessa vida, – nesse momento ele parou em frente ao espelho, ao lado do meu criado mudo, e ficou encarando o próprio reflexo – e a maioria delas foi por conta do Toddy. Eu não atirei nele pra salvar duas estranhas, eu atirei nele por vingança, e continuo me vingando quando não deixo que ele nos alcance.

Agora sim, estava tudo explicado.

Continua…

Será que estava mesmo tudo explicado? Eu acho que o Fumaça está dando uma desculpa qualquer pra convencer a Priscila a fugir, mas porque ele faria isso?

Volte aqui na próxima terça-feira (25), às 20h, e fique por dentro dos segredos de Fumaça;)

Anúncios

3 comentários em “Eu odeio Ele – Capítulo 4

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s