Meu anjo da guarda

1º Versão de Meu anjo da guarda – Prólogo

“Cordéis da morte me cercaram, e angústias do inferno se apoderaram de mim; encontrei aperto e tristeza.” (Salmos 116:3)

O suicídio sempre foi uma opção. Agora, sem conseguir respirar direito e perdendo a consciência para uma escuridão sem fim, eu me pergunto se fiz a melhor escolha.

– Gabriela? – A voz vinha distante e por causa da confusão na minha mente, não consegui identificar quem era. – Fala comigo!! – Quem quer que fosse, sacudiu meus ombros, em vão.

– Gabi, você precisa acordar!!! – No momento em que ouvi “Gabi” tive a sensação que o estranho era alguém muito importante. 

– Vou te ajudar, você precisa confiar em mim! –  Eu já tinha ouvido aquela promessa antes, mas algo me dizia que justamente por não acreditar nela, tirei minha própria vida.

Perdi a noção do tempo. Não fazia ideia de quantas horas já tinham se passado desde que cortei os pulsos. O pânico e o calor que eu sentia davam a impressão que eu já estava naquela negritude há uma eternidade. 

“Do outro lado não tem mais nada, Gabriela. O sofrimento não existe, esse papo de céu e inferno é baboseira. A morte é o fim da linha.” Essas tinham sido, exatamente, as palavras do Trix, e eu ainda estava tentando entender em que momento chegava esse ponto final, quando ouvi barulho de risada. 

Não era um riso normal. O som era estridente, ensurdecedor e malignamente potente, ao ponto de me fazer sair correndo. Eu não sabia exatamente pra onde estava indo, não enxergava nada, só queria correr para o lado contrário daquele barulho.  

Corri o máximo que consegui, mas as risadas (e eram muitas) continuavam se aproximando. Meu coração esmurrava o peito e o ar me faltava, tive que parar para respirar, mas quando fiz isso, um fogo se acendeu em baixo dos meus pés. Dei um grito e pulei para trás, mas não adiantou, as chamas não desgrudaram e começaram a subir por todo o meu corpo. 

– Socorro!!!!!!!!!!!!! Socorrrooooooo!! Socorrroooooo! Alguém me ajuda!!!!!!!!! – As chamas eram fortes, eu estava pegando fogo, literalmente, mas para minha surpresa minha pele não se desfazia. – Tira isso de mim!!!!!!!!! Socorrooooooo!!! Mãeeeeee!!!! Pai!!!!!!! 

Apavorada com o incêndio, não vi que as risadas estavam do meu lado. E não eram ecos, como eu tinha pensado. Olhei ao meu redor e com a luz das chamas vi um exército de homens vestidos com uma capa preta, que possuía um gorro capaz de esconder seus rostos. 

Eu não tinha um espelho, mas tenho a absoluta certeza que naquele momento meu rosto estava em mais puro terror. Eu não conseguia mais gritar, minha voz tinha sumido, diferente das chamas que aos poucos iam se alastrando para além de mim. E quando elas atingiram uma distância de 2 metros eu pude enxergar melhor. 

Não eram homens, eram anjos da morte que vieram me pegar:

– Gabriela, a morte não é o fim da linha, ela é apenas o começo, e nós somos suas companhias daqui pra frente. 

Abri minha boca para tentar gritar de novo, mas fechei, assim que o primeiro “anjo” levantou lentamente seu rosto e afastou o gorro. Eu conhecia ele muito bem. Era o Trix, o meu anjo da guarda.


Capítulo 1 

Capítulo 2 

Capítulo 3 

Capítulo 4 

Capítulo 5 

Capítulo 6 

Capítulo 7

Capítulo 8

Capítulo 9 

Capítulo 10

Capítulo 11 

Capítulo 12

Capítulo 13

Capítulo 14

Capítulo 15

Capítulo 16

Capítulo 17

Capítulo 18 

Capítulo 19

Capítulo 20

Capítulo 21

Capítulo 22

Capítulo 23 

Capítulo 24 

Capítulo 25

Capítulo 26 

Capítulo 27

Capítulo 28 

Capítulo 29 

Capítulo 30 

Capítulo 31 

Capítulo 32

Capítulo 33

Capítulo 34

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s