Meu anjo da guarda

Meu anjo da guarda – Capítulo 27

Uma criança estava deitada na cama dormindo feito pedra. Mas não foi isso que me assustou, e sim a camisa de força que abraçava seus braços. Sem falar que ela babava como um cachorro raivoso. Tentei me lembrar que o Mateus não me deixaria cair e me forcei a entrar mais no quarto. 

 

– Achei que vocês não iam chegar nunca. – A voz doce e arrastada da mulher sentada de frente pra cama me fez dá um pulo. Eu ainda não tinha notado sua presença. – O que ele quer dessa vez? Porque mandou duas crianças me procurar? 

 

– E…ele? – Gaguejei, sem conseguir tirar os olhos da menina. 

 

– Você diz o Santiago? – O Mateus perguntou, demonstrando mais autocontrole do que eu. 

 

– Quem mais seria? – A mulher perguntou desconfiada. – Espera… vocês não vieram aqui a mando dele, né? – Ela nos olhou de cima a baixo e veio em nossa direção. – Quem são vocês? – Gritou e eu me assustei. 

 

O Mateus se aproximou mais de mim quando percebeu meu temor, e tentou contornar a situação. 

 

– Viemos numa boa, não precisa se assustar ou nos expulsar. 

 

– O que vocês querem com minha filha??? 

 

– Ela que é Sofia? – Antes que a mulher respondesse, eu criei coragem e abri a boca. 

 

– O que meu pai fez com vocês? – A revelação na pergunta fez os olhos dela se arregalaram. 

 

– O Santiago é seu pai? – Ela estava na minha frente e analisava cada centímetro do meu rosto. Eu recuei um pouco, mas ela se aproximou de novo. – Ele não mandou vocês aqui… o que querem? 

 

– O Santiago morreu. – O Mateus revelou e ela olhou pra ele em um ímpeto. Seus olhos carregaram um brilho que eu não consegui identificar o que representava. 

 

– De que? 

 

– Envenenado. 

 

Um meio sorriso surgiu em seus lábios, mas logo desapareceu. 

 

– Finalmente aquele maldito teve o que merecia. – Ela disse isso olhando pra filha, como se estivesse falando com a menina que o grande momento dela tinha chegado. 

 

– O que meu pai fez com vocês? – A alegria que ela demonstrou com a notícia me incomodou, o que me deu coragem e fez minha voz sair mais clara. 

 

Ela me lançou um olhar que mais parecia uma espada, pronta a me furar a qualquer instante, e eu encolhi. O Mateus viu a cena e se colocou na minha frente, me empurrando discretamente para atrás dele. 

 

– Ele destruiu a vida da Sofia. Minha filha só tinha 10 anos quando o desgraçado do seu pai estuprou ela e a engravidou. 

 

Eu já tinha vistos as fotos onde meu pai parecia violentar crianças, mas aquilo era diferente. Aquela revelação fazia tudo parecer real. Confirmou o que eu vinha tentando negar: meu pai era um monstro. 

 

Senti vontade de vomitar e o ar começou a me faltar. 

 

 – Minha filha enlouqueceu, sabia? A Sofia tá nessa cama porque ele colocou ela aí. Uma criança de 10 anos não tem estrutura pra aguentar tanta desgraça. – A mulher parecia prestes a chorar a qualquer instante, mas eu não senti pena. Senti nojo. Eu queria sair correndo dali. Eu queria chorar, queria vomitar, queria me matar. 

 

– Você tá passando mal? Engraçado, minha filha todos os dias sente dor no corpo inteiro por conta dos remédios que toma. A Sofia grita de dor e eu não posso fazer nada! Tudo culpa do maldito do Santiago! Seu pai é um monstro! Ele marcou a minha filha! Sabe porque ela é magra assim? Porque ele jogou nela AIDS!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s